Novo tratamento para doentes com Fibromialgia

Os tratamentos da Fibromialgia, que desde há cerca de oito meses se iniciaram gratuitamente, na Santa Casa da Misericórdia de São Carlos (SCMSC) – em unidade específica que presta outros atendimentos para pesquisa, como osteoartrose -, graças a uma feliz parceria entre essa instituição e o Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), através de seu Grupo de Óptica, acabam de ganhar mais um avanço científico com a introdução de um novo protocolo que está já em execução na Unidade de Terapia Fotodinâmica da SCMSC.

Recordamos que a fibromialgia é uma doença crônica, de foro psicológico, com maior prevalência em mulheres, associada à incapacidade funcional e dores crônicas, sendo que até há bem pouco tempo os tratamentos mais comuns incluíam medicamentos, exercícios físicos, reeducação nutricional e ajuda psicológica.

Atendendo ao fato de que a fisioterapia comumente usa recursos, como ultrassom terapêutico e terapia a laser, terapias essas que já demonstraram ter um grande potencial para diminuir a dor e a capacidade funcional dos pacientes com fibromialgia, uma equipe de pesquisadores do Grupo de Óptica do CEPOF-IFSC/USP, constituída pelos fisioterapeutas Juliana Amaral e Daniel Marques Franco, e os pesquisadores Antonio de Aquino Junior e Vanderlei Salvador Bagnato, descobriram um novo método bem mais eficaz no combate às dores e incapacidades provocadas pela doença.

Foto: Arquivo da Assessoria de Comunicação do IFSC-USP

“O tratamento inicial compreendia a aplicação de ultrassom e laser conjugados no ponto sensível, localizado no músculo trapézio (perto do ombro), um dos diversos locais apresentados pela doença– por vezes insuportável -, cujos resultados foram extremamente positivos. Contudo, essa aplicação não conseguia, por vezes, atingir as principais inervações afetadas, comprometendo assim a eficácia de se atingirem os 100% no restabelecimento da qualidade de vida dos pacientes e, claro, na eliminação da dor”, salienta Juliana Amaral.

Foto: Juliana Amaral – Arquivo da Assessoria de Comunicação do IFSC-USP

No início deste ano, em um artigo científico publicado no Journal of Novel Physiotherapies, este grupo de pesquisa lançou um novo protocolo para o tratamento da fibromialgia, utilizando o mesmo método, mas desta vez nas palmas das mãos, local onde a fibromialgia traz ao paciente a característica da existência excessiva de neuroreceptores ao redor de capilares sanguíneos, o que, por si só, facilita as aplicações de laser e de ultrassom, tornando-as bastante eficazes.

Esse artigo relata o caso de uma mulher com 61 anos de idade, com diagnóstico de fibromialgia, queixando-se com muitas dores e diminuição da capacidade funcional. “Ao ter sido submetida ao novo tratamento nas palmas das mãos durante dez sessões (2 vezes por semana), nossa equipe observou uma quase total redução da dor e um aumento de 335% de suas capacidades físicas, possibilitando ao paciente retornar às atividades diárias. Esse método – um estudo de caso – mostra a eficácia deste novo tratamento, consubstanciado em uma nova proposta de tecnologia e metodologia, utilizando equipamentos que permitem a sobreposição do campo, bem como a aplicação nas palmas das mãos, trazendo para o paciente, mais uma vez, a qualidade de vida tão desejada”, sublinha a fisioterapeuta.

Novo equipamento estará comercialmente disponível a partir de março de 2019

Em um novo artigo científico publicado em junho deste ano, igualmente no Journal of Novel Physiotherapies (LEIA AQUI)

https://www2.ifsc.usp.br/portal-ifsc/wp-content/uploads/2018/06/ARTIGO-FIBROMIALGIA.pdf

, intitulado Podem as mãos prover um novo tratamento para a fibromialgia? Um estudo piloto, a mesma equipe de pesquisa, desta vez reforçada com as participações de Heloisa Ciol (IFSC/USP) e Anderson Luis Zanchin (MM Optics), relatou as diferenças encontradas entre este novo tratamento e o primeiro (cuja aplicação combinada incidia apenas sobre o trapézio), tendo chegado à conclusão que o novo protocolo se apresenta como o mais eficiente para o restabelecimento da qualidade de vida dos pacientes acometidos com fibromialgia e para a redução quase integral dos estados de dor.

O equipamento, especialmente concebido e desenvolvido pelo Grupo de Óptica do CEPOF-IFSC/USP para tratar artrites, artroses, fibromialgia e outras doenças inflamatórias, estará disponível no mercado a partir de março de 2019, sob responsabilidade da empresa são-carlense “MM Optics”

FONTE DA NOTÍCIA: Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

Leia Também

Associação Capixaba de Parkinson presta apoio a pacientes com a Doença de Parkinson e auxilia a família a lidar com o diagnóstico

Doença de Parkinson atinge pessoas no mundo todo. Com os tremores e outras disfunções, as …

PARCEIROS CREFITO